A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

Comprar a casa própria é o sonho de uma grande parte da população. É o que a mídia vende como o correto a se fazer para ter sucesso na vida. O que vou te falar hoje vai de encontro a toda essa ideologia.

Para continuar nossa conversa, preciso que você esteja disposto a ampliar sua visão sobre negócios. Como o próprio título diz, se a casa própria é uma prioridade para você, você está errado. Vou te provar isso através do ponto de vista financeiro.

Quando você pensa em comprar uma casa ou finalmente realizar o sonho da casa própria. Posso presumir duas opções: você já tem o dinheiro e quer comprar pagando imediatamente ou o caso mais comum, você têm uma parte do dinheiro, que usaria como entrada, e pretende parcelar a compra por vários anos da sua vida.

Para explicar minha colocação, vou separar o artigo em dois cases: o primeiro supondo que você já possui o dinheiro para conseguir a casa própria, e o segundo, supondo que você vai financiar parte do montante.

Antes de iniciar, preciso introduzir aqui o conceito de custo de oportunidade. O custo de oportunidade, de uma forma geral, é sobre o valor que você deixou de ganhar por não explorar outro tipo de investimento.

Por exemplo, determinado capital investido na poupança (rendimento de aproximadamente 0,67% ao mês), rende menos que o mesmo valor, se aplicado em algum fundo de renda fixa dos principais bancos brasileiros, como mostra o ranking de rentabilidade abaixo, entre 1,01% a.m. até 2,42% a.m.

A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

Lembrando que estamos te mostrando um resumo dos fundos para critério de comparação e não de tomada de decisão final, é preciso avaliar cuidadosamente cada fundo antes de aplicar o seu dinheiro. Não se iluda facilmente, pois a rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Calma, não quero te desanimar, apenas abrir os seus olhos, a ideia é que você invista com responsabilidade e multiplique seus ganhos. Seu dinheiro é precioso neste momento, não entregue nas mãos de qualquer pessoa. Agora, vamos ao primeiro caso:

Então, eu já tenho o dinheiro: devo comprar uma casa ou é melhor alugar e investir o dinheiro?

A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

Então, vamos analisar o custo de oportunidade? Vamos supor que você possui R$ 200.000,00 e pretende morar em um apartamento que custa esse valor. Você tem a opção de comprar pagando a vista, ou alugar e investir o dinheiro. Qual a melhor opção?

Se você pesquisar por imóveis desse mesmo padrão, verá que os alugueis estão na faixa de preço de R$ 900,00 a R$ 1.200,00. O que equivale a aproximadamente 0,6% do valor do imóvel.

E se investisse o dinheiro que você tem, pagando o aluguel com os rendimentos desse investimento? Um investimento na poupança com juros de 0,6% ao mês terá o mesmo efeito que comprar um imóvel do ponto de vista financeiro.

E se você investisse em um daqueles fundos de renda fixa da imagem anterior? A rentabilidade no mês de julho de 2016 foi superior a 1% ao mês. Seu ganho seria de 0,4% a.m. Se você for mais a fundo e analisar a rentabilidade dos últimos 36 meses, verá que ela se mantém constante. Você já pensou o que pode significar uma receita de R$ 800,00 todo mês?

E há a possibilidade de ganhar muito mais! Se você estudar investimentos mais lucrativos, como investimentos no Tesouro Direto, ou em ações, por exemplo, seu capital pode ser dobrado em pouco tempo.

E você nem precisa de grandes valores para investir na bolsa de valores. Descubra como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro, clique aqui.

Tenho um pouco de dinheiro. Será que é melhor contratar um financiamento para comprar meu próprio imóvel pagando a entrada, ou devo investir esse valor e continuar pagando o aluguel?

A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

Essa situação é a mais comum, não é mesmo? Você fez um esforço, conseguiu economizar algum dinheiro, e agora está em dúvida se é a hora certa de comprar seu próprio imóvel.

Convido-te a analisar o lado financeiro dessa operação. Quando você faz um financiamento, a depender do valor da entrada, e do seu poder de negociação, os juros podem ser mais altos ou mais baixos. Mas, na média, a taxa de juros sobre operações de financiamento imobiliário é acima de 10% ao ano.

Voltemos ao exemplo anterior: vamos analisar um financiamento para um imóvel de R$ 200.000,00. Fazendo uma simulação no site da Caixa Econômica Federal, obtive os seguintes resultados:

Valor do imóvel R$ 200.000,00
Prazo máximo 420 meses
Cota máxima financiamento 90%
Valor da entrada R$ 46.503,87 Alterar
Prazo desejável 420 meses Alterar
Valor do financiamento R$ 153.496,13
Sistema de amortização SAC
Juros 9,5690% a.a
Custo Efetivo Total 10,8999%

Depois de fazer os cálculos, o valor total pago em prestações ficou em R$ 434.065,84 que se somado ao valor da entrada R$ 46.503,87. Dá um total de R$ 480.569,71. Que cifra assustadora, não?

Agora, façamos os cálculos para apenas um investimento de R$ 45.000,00 por um prazo de 10 anos (120 meses) no Tesouro Direto:

A casa própria é uma prioridade para você? Você está errado!

Imagem capturada no site da Easynvest

Quer aprender a investir no Tesouro Direto? Disponibilizamos um ebook gratuito com o passo a passo para você começar a investir. Deixe seu e-mail abaixo que encaminharemos para você!










Percebeu a diferença? E você pode ganhar muito mais, visto que a rentabilidade de investimentos mais agressivos é muito maior. O mercado de ações, por exemplo, proporciona rentabilidades bem acima desses investimentos mais conservadores.

Se você tem interesse em investir na bolsa de valores, saiba que não precisa de grandes montantes para começar, clique aqui para saber mais.

Agora você deve estar se perguntando:

Eu nunca vou ter minha casa própria? Não é viável? E a valorização do imóvel? Estou aqui para dizer que você tem sim que fazer esses questionamentos, avaliar os pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades.

O que definirá qual será o seu foco no momento vai ser o seu estágio financeiro atual, obviamente se você possui patrimônio suficiente para comprar uma casa sem que afete suas possibilidades de rendimentos superiores, compre!

Caso contrário, você irá perder sua liberdade financeira, a partir do momento que você contrata um crédito imobiliário em uma instituição financeira, não pode ocorrer imprevisto algum.

Sabemos que imprevistos acontecem e o impacto deles no orçamento é aterrorizante, pois os juros de cheque especial e de rotativo de cartão de crédito cobrados pelo mercado são em média de 12% ao mês.

O que isso quer dizer? Lá se foi a sua “vantagem” de economizar com o aluguel. Não é fácil sair das dívidas quando ela vira uma bola de neve, não é mesmo?

Pense também no seu emprego e na sua família, é nessa empresa que você pretende ficar esse longo período de tempo que está pagando as prestações? Sua família suportaria os custos caso você venha a ser despedido? Onde você quer estar daqui a 10 anos? Essa parcela suave não irá te impedir de buscar novos desafios?

Robert Kiyosaki o autor do best seller Pai Rico Pai Pobre nos ensina a pensar como rico, antes mesmo de ser um, ou seja, fazer o dinheiro trabalhar para você e não o contrário. A ideia do autor é sempre buscar ativos geradores de renda, como por exemplo, títulos, ações ou até mesmo um imóvel, se ele gerar receita e é claro se ele for mais viável que outros investimentos, conforme abordamos acima calculando o custo de oportunidade. Do outro lado o livro fala que os pobres não pensam como rico e acabam comprando passivos, ou seja, bens que produzem gastos como a casa própria e o carro próprio.

Faça como a maioria e tenha resultados iguais a maioria: médios. Resultados médios interessam para você? Se você leu até aqui com certeza não, você está buscando informações para investir o seu dinheiro, e quanto maior o nível de conhecimento que você tem sobre determinado investimento, menor o risco envolvido.

90% da população detêm 10% da riqueza do mundo e os outros 10% ficam com a maior fatia do dinheiro, 90%. De que lado você quer estar? Seja a minoria, seja diferente!

Deixe nos comentários a sua experiência com a casa própria e sobre seus planos para podermos te ajudar com ótimos conteúdos que vão tornar seus investimentos mais saudáveis e rentáveis.

E caso você ainda não tenha o dinheiro para investir, não se preocupe, leia o nosso artigo: Como vou ganhar dinheiro se eu não tenho dinheiro para investir? E entenda todo o processo.

Obtenha a sua independência financeira! 

2 Comentários

  1. DONIZETI JOSÉ DE OLIVEIRA

    ACHEI INTERESANTE O MATERIAL, MAS TENHO DIFICULDADE PRA ENTENDER SOBRE COISAS DE FINANÇAS, CASO POSSAM E QUEIRAM ME AJUDAR, PRECISO SABER QUAL É O MELHOR PRA MIM OU O MAIS REANTÁVEL. MORO NO RIO GRANDE DO SUL E POSSUO UM IMÓVEL EM SÃO PAULO E ESTOU COM PROBLEMAS DE ALUGUÉL EM AMBOS OS ESTADOS, AQUI PAGANDO EM DIA TUDO CERTINHO E NÃO RECEBENDO A LOCAÇÃO DE SAO PAULO EM DIA…ENFIM, DEVO OU NÃO VENDER MEU IMÓVEL PRA INVESTIR NO SUL??

    • igd

      Olá Donizeti, muito obrigado pelo comentário. Podemos te ajudar sim, acontece que precisamos de mais detalhes, pois cada caso é um caso. O mercado imobiliário tem seus altos e baixos, e estamos vivendo exatamente um cenário de baixa. Mas não se preocupe, investimentos em imóveis são para longo prazo. Um dos grandes riscos em investir em imóveis é sua baixa liquidez, ou seja, é muito difícil transformar o seu patrimônio em dinheiro do dia para a noite. Por essa razão é preciso analisar estrategicamente as perspectivas de obter renda de aluguel com o seu atual imóvel e caso não tenha boas notícias é interessante pensar em outro tipo de investimento. O mercado financeiro apresenta muitas possibilidades para investir em imóveis, por exemplo, receber alugueis sem mesmo possuir o imóvel propriamente dito, mas para entrar neste mercado é aconselhável estudar sobre os fundos imobiliários. Lembrando que o objetivo do artigo não é desestimular a aquisição de imóveis e sim avaliar cuidadosamente o custo de oportunidade em comprar determinado imóvel ou investir em outro ativo.

      Reflita sobre as seguintes perguntas:

      – Seu imóvel está se valorizando?
      – Você conseguiria vender ele hoje pelo preço que realmente vale?
      – Existe perspetiva de receber renda com aluguel?
      – Em caso de venda, quanto iria pagar de imposto de renda?
      – É necessário investir em reformas?
      – Possui rotatividade de locatários?
      – Qual o custo fixo para manter o imóvel?

      Reflita sobre essas questões para ter um ideia se vale a pena ou não. Espero ter ajudado. Continue nos acompanhando, um grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *